Teses, Dissertações e Monografias

Acesse a listagem abaixo para conhecer algumas das teses, dissertações e monografias desenvolvidas pelos alunos de pós-graduação do Departamento de Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica.

A consulta também pode ser feita na biblioteca de Engenharia Civil pelos telefones (11) 3091-5204 e 3091-9023, fax (11) 3091-5125 ou pelo e-mail biblioteca.civil@poli.usp.br.

Para saber o horário e o local das próximas qualificações e defesas, acesse o site Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil – PPGEC. e do ConstruINOVA - Mestrado Profissional em Inovação na Construção Civil.

Para conhecer as diretrizes de elaboração de teses e dissertações clique no link ou acesse o site da Biblioteca Digital.

Importante: a consulta aos arquivos das teses e dissertações fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:

Este trabalho é para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar o nome da pessoa autora do trabalho.

Buscar teses, dissertações e monografias
  • Estratégias para desenvolver empresas de execução especializada de serviços de obra PDF
    • Aluno: Ricardo Juan José Oviedo Haito
    • Orientador: Alex Kenya Abiko
    • Categoria: Doutorado
    • Ano: 2015

    Na construção civil dois agentes são os responsáveis pela materialização das obras. O primeiro destes são as construtoras. Porém, a maior parte dos trabalhos nos canteiros de obras é delegada a empresas executoras de serviços de obras (EES), ou subempreiteiras, numa prática conhecida como subcontratação; o segundo de tais agentes. As EES são heterogêneas, possuindo diferentes recursos e competências que, quando lhes permitem executar adequadamente os seus serviços, caracterizam um subconjunto de EES. Este subconjunto é denominado empresas de execução especializada de serviços de obras (EEE). Adicionalmente, no Brasil, a maioria das EES são micro e pequenas empresas, e muitas delas carecem dos recursos e competências adequados para desempenhar os seus serviços. Para piorar esta situação, as EES são maiormente contratadas pelo menor preço e obrigadas a assumirem riscos que excedem as suas capacidades. Neste contexto, possuir as características adequadas não é suficiente para um bom resultado. O relacionamento entre as EES e os agentes com os quais elas interagem afeta os resultados das obras. Em um mercado com alta demanda o risco da subcontratação der errado provoca que alguns agentes, principalmente às construtoras, transfiram recursos e competências durante o seu relacionamento com as EES, habilitando-as para obterem os resultados esperados. Pouco se sabe sobre perfis de EES que provocam esta transferência e como esta se dá na prática. O objetivo desta tese é discutir estratégias para desenvolver empresas de execução especializada de serviços de obras. Para tanto 53 entrevistas, divididas em seis grupos, foram realizadas usando o método indicador – conceito, da teoria fundamentada em dados (Grounded Theory).||Esta tese contém três resultados principais: 1) classificação de recursos e competências das EES; 2) classificação de condições dadas por outros agentes para as EES desempenharem suas atividades; e 3) estratégias genéricas desenvolver EEE em termos dos recursos e competências que possuem; e em termos dos relacionamentos e condições que recebem dos agentes do seu ambiente externo. Entre outros, estes resultados servem para elaborar uma estrutura genérica de colaboração entre EES e os demais agentes da construção civil.

  • Estratégias para a minimização da emissão de CO2 de concretos estruturais PDF
    • Aluno: Vanessa Carina Heinrichs Chirico Oliveira
    • Orientador: Vahan Agopyan
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2015

    A maior parte das emissões de CO2 do concreto origina-se na produção do cimento. A estratégia tradicional de minimização da pegada de CO2 tem privilegiado o grau de substituição do clínquer. O trabalho examina o impacto dessa estratégia e também a influência da escolha do fornecedor de cimento sob a ótica de sua matriz energética, a variação do consumo de cimento para concretos e mesma resistência e do desvio padrão do processo produtivo de acordo com o controle do processo de produção do concreto. O método de trabalho inclui dados de revisão bibliográfica, normalização técnica e dados de central de concreto. O objetivo do trabalho é analisar o impacto de diferentes variáveis na pegada de CO2 do concreto estrutural e fornecer subsídios à cadeia produtiva de concreto para minimização da emissão de CO2 dos produtos. A estratégia tradicional de escolha do tipo de cimento baseando-se em seu teor de clínquer mostra-se insuficiente, pois há uma grande variação e sobreposição dos teores de clínquer permitidos nas normas técnicas brasileiras. No momento atual estima-se que a indústria cimenteira utilize praticamente toda a escória de alto forno gerada no país e a quase totalidade das cinzas de melhor qualidade. Dessa forma, aumentando a demanda de cimento, a produção de clínquer aumenta, e o teor de adições no clínquer diminui dentro das extensas faixas permitidas pelas normas técnicas. Nesse cenário, a seleção de um tipo de cimento em detrimento de outro não traz necessariamente benefícios ambientais para o país, embora possa reduzir o impacto de uma obra específica. A troca da matriz energética por carvão vegetal de madeira de florestas plantadas pode minimizar a parcela de emissões provenientes de combustíveis do cimento.||A eficiência do processo de formulação apresenta grande potencial para diminuir a quantidade de cimento utilizada no concreto, diminuindo, assim, as emissões totais de CO2 do concreto. A influência do desvio padrão das condições de produção apresenta potencial menor para a diminuição das emissões, embora ainda seja uma alternativa. A combinação das quatro estratégias estudadas demonstra a complexidade da emissão do concreto e o grande potencial para mitigar suas emissões de CO2. A necessidade de informações específicas sobre a emissão dos cimentos, seu teor de clínquer e sua matriz energética, uma técnica de dosagem otimizada e um controle das condições de produção do concreto demonstram que há, tanto para fornecedores de matérias primas do concreto quanto para os usuários e produtores do concreto, muito a ser feito para minimizar as emissões deste material tão consumido.

  • Análise de projetos de reassentamento habitacional PDF
    • Aluno: Débora de Camargo Cavalheiro
    • Orientador: Alex Kenya Abiko
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2015

    As remoções são cada vez mais frequentes no contexto brasileiro e mundial. O reassentamento de famílias atingidas por processos de desocupação deve respeitar os preceitos de moradia adequada como um direito, pois o reassentamento pode agregar qualidade de vida e dignidade às famílias atingidas, bem como ser um fator intensificador de vulnerabilidades. A presente pesquisa analisa a adaptação e a satisfação dos moradores de um reassentamento, o Conjunto Rubens Lara, localizado no bairro Jardim Casqueiro na cidade de Cubatão, resultado de um deslocamento involuntário de famílias moradoras de favelas para um conjunto habitacional com características distintas da produção comumente praticada na habitação social brasileira. O método da pesquisa foi baseado em instrumentos que possibilitem a visão dos diversos atores do processo, bem como na satisfação do usuário. Para análise dos dados quantitativos foi utilizada estatística descritiva, análise fatorial e a medida de incerteza. Os resultados mostram que o fato de se tratar de uma remoção involuntária não é determinante para a satisfação do morador. Atributos positivos que tragam qualidade de vida trazem maior influência na satisfação, mesmo em uma situação de remoção involuntária. A localização do empreendimento com serviços, equipamentos e oportunidades disponíveis foi apontada como um aspecto determinante da satisfação. No entanto questões como o arranjo em condomínio, manutenção e incremento de gastos podem colocar os ganhos do projeto em risco. Quanto à gestão condominial verificou-se que a manutenção tem importante papel nas questões condominiais, pois é influenciada tanto por aspectos de engenharia como administrativos, podendo assim ser um componente de preocupação no futuro. Os moradores reconhecem o papel da manutenção sendo esta influenciadora da satisfação na gestão condominial.||Por outro lado, a satisfação com o valor da taxa de condomínio está ligada a capacidade de pagamento dos moradores e não pela qualidade dos serviços em si. Foram observados índices mais positivos de inadimplência que os encontrados na bibliografia.

  • Avaliação de conforto térmico dos apartamentos do BNH da cidade de Santos PDF
    • Aluno: Thiago dos Santos Garcia
    • Orientador: Racine Tadeu Araujo Prado
    • Categoria: Mestrado
    • Ano: 2015

    Aspectos de conforto térmico em Habitações de Interesse Social em alguns casos não consideram análises criteriosas que proporcionem ao usuário um modelo ideal de habitação no que se refere aos aspectos de conforto térmico. A existência de normas que determinem alguns parâmetros de conforto não significa que estes padrões sejam adotados adequadamente, pois existem restrições econômicas destes usuários. Um diagnóstico de sensação de conforto térmico em Habitações de Interesse Social permite uma análise criteriosa com o intuito de aferir problemas de desconforto térmico de usuários que residem em habitações desta tipologia habitacional. O objetivo deste trabalho é identificar se os apartamentos do Conjunto Habitacional "Castelo Branco" - BNH de Santos-SP - proporcionam aos seus moradores um estado de conforto térmico satisfatório e adequado ao clima local. Foram avaliados apartamentos com disposições de layout, ocupação e implantações distintas no complexo do BNH de Santos, onde os dados experimentais foram coletados com um confortímetro, concomitantemente a um levantamento de APO (Avaliação Pós Ocupação) junto aos moradores e que foram comparados aos índices de conforto térmico das normas existentes e calculados pelo software Energyplus, por meio de um arquivo climático da região. Os resultados mostram que a maioria dos usuários entende que, ao longo do ano, os apartamentos possuem temperaturas mais elevadas do que seria a condição ideal de conforto, tanto em apartamentos térreos como de cobertura, podendo variar com o número de moradores de cada unidade habitacional, além da influência da radiação solar direta que cada apartamento recebe ao longo do dia.

  • Caracterização e controle do comportamento mecânico do concreto reforçado com fibras para tubos PDF
    • Aluno: Renata Monte
    • Orientador: Antonio Domingues de Figueiredo
    • Categoria: Doutorado
    • Ano: 2015

    Os estudos focando a otimização do reforço dos tubos de concreto para obras de saneamento são importantes por estes componentes estarem vinculados a grandes necessidades sociais que ainda atingem o Brasil e outros países em desenvolvimento bem como pelo fato destes componentes serem produzidos em série, o que gera economia de escala. Neste sentido, a utilização de fibras como reforço dos tubos trás consigo um grande número de vantagens aplicativas e de desempenho. A tendência internacional de busca por um consenso no dimensionamento e controle do concreto reforçado com fibras (CRF) como material estrutural está sendo direcionada para o fib Model Code 2010. Geralmente, para a caracterização do CRF são utilizados os ensaios de flexão de vigas. Porém, a moldagem desses corpos de prova para o controle do CRF dos tubos apresentou resultados inadequados em estudos anteriores. A definição do reforço ótimo de tubos de CRF através da tentativa e erro no ensaio de compressão diametral do componente deve ser evitada pelos elevados gastos (financeiros, de material e tempo) associados a esta metodologia. O projeto deve ser atingido através de modelos confiáveis que possam otimizar o reforço através da previsão adequada do desempenho do componente. Da mesma forma, deve-se obter procedimentos de controle do material que sejam concatenados com os procedimentos de controle do produto. Neste sentido, esta tese propõe uma metodologia para a caracterização e controle do comportamento mecânico do CRF para a produção de tubos, que permita modelar o comportamento do componente no ensaio de compressão diametral e verificar sua adequação a uma aplicação estrutural. O estudo foi dividido em três fases principais. Na primeira houve a avaliação de um método de ensaio alternativo ao de flexão de prismas para o controle do CRF.||Na segunda fase experimental houve a incorporação de modificações no método de ensaio de compressão diametral do componente de modo a aproximá-lo à filosofia do fib Model Code 2010. Nesta etapa foram avaliados tubos com reforço de fibras de aço, macrofibras poliméricas e vergalhões para comprovar a pertinência da nova metodologia de ensaio. Na terceira fase do estudo foi realizada uma simulação numérica para previsão de comportamento dos componentes ensaiados utilizando os parâmetros do material caracterizados através do método de ensaio alternativo validado na primeira fase. Os resultados obtidos na modelagem foram comparados com o resultado experimental do ensaio do componente de modo a validar a metodologia proposta. Os resultados demonstraram a adequação do ensaio Barcelona para a caracterização e controle do comportamento mecânico do CRF destinado à produção de tubos. Essa caracterização poderá subsidiar simulações numéricas do comportamento do componente no ensaio de compressão diametral. Com isto, ábacos de projeto de tubos de concreto reforçados com diferentes tipos de fibras poderão ser desenvolvidos, identificando as classes resistentes que serão atendidas dependendo do diâmetro do tubo e do teor de fibras empregados. Esta tese aponta também para a necessidade de uma revisão na normalização vigente, estabelecendo critérios relacionados ao comportamento pós-fissuração que avaliem o estado limite de serviço e o estado limite último. Isto permitirá uma avaliação homogênea do tipo de reforço e tornará mais adequada a comparação entre distintos tipos de reforço (fibras ou convencional).


Anterior Próximo
      1    2    3    4    5    6    7    8    9    10  . . . 157